Banner topo divulga%c3%87%c3%83o

Compassion 857747 1920

DINO

Contaminação cruzada é responsável por 40% das doenças causadas por alimentos

Um problema que é alvo de preocupações, merece cuidados especiais e atenção redobrada nas cozinhas industriais é a contaminação cruzada, que ocorre quando microrganismos (bactérias e germes, entre outros) são transferidos de um local para outro. Um único descuido e já estarão contaminados alimentos, áreas e até superfícies inteiras.
28/11/2017 - 13:52


  • 7599a267 ab04 4ca8 911c 846c186879cb

Cerca de 40% das doenças transmitidas por alimentos, em países de das Américas Central e do Sul são causadas ainda no preparo e manipulação, de acordo com o Instituto Pan-Americano de Proteção de Alimentos e Zoonoses (INPPAZ). Alto, este índice significa que em cada dez pessoas que se intoxicam após uma refeição, em quatro delas a infecção foi provocada por algo que ocorreu durante a fase de preparo do alimento, e serve como alerta para os restaurantes que além de um eventual processo judicial, sanções e penalidades por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pode sofrer com danos irreversíveis à sua imagem e a vida de algum cliente, após um caso de intoxicação.

A cozinha profissional requer a máxima segurança alimentar e deve ser tratada com a máxima seriedade. A preocupação com a conservação, higiene e limpeza nas cozinhas industriais deve ser constante, um pequeno deslize por falta de higiene, seja no momento da manipulação de alimentos, ou do próprio colaborador, pode implicar em uma série de problemas, entre elas a intoxicação alimentar. A resolução-RDC Anvisa nº 216/04 estabelece boas práticas para serviços de alimentação, mostrando e enfatizando a importância delas para a garantir a segurança no manejo, armazenamento e distribuição do alimento comercializado. Esse tipo de cuidado faz com que os restaurantes diminuam os riscos de acidentes, eventuais contaminações dos alimentos e evitando situações de desconforto, priorizando o serviço de qualidade aos clientes.

Um problema que é alvo de preocupações, merece cuidados especiais e atenção redobrada nas cozinhas industriais é a contaminação cruzada, que ocorre quando microrganismos (bactérias e germes, entre outros) são transferidos de um local para outro. Ações simples na cozinha como não lavar a faca após cortar carne ainda crua e utilizá-la em outro alimento pode transferir bactérias e causar problemas, infelizmente na maioria das vezes, o responsável pela contaminação cruzada é a própria pessoa encarregada de manipular os alimentos. Um único descuido e já estarão contaminados alimentos, áreas e até superfícies inteiras.

Todo restaurante, padaria e outros negócio de alimentação precisa ser exemplo de higiene, boa infraestrutura e segurança alimentar. Cada área do estabelecimento possui uma necessidade própria e exige um produto específico para limpeza visando a segurança e o bem-estar de toda a cozinha, como pisos, equipamentos, utensílios, uniformes, entre outros. Se você ainda não pensou em um eficiente sistema de segurança alimentar e higienização da sua cozinha, o seu negócio está correndo um sério risco! Confira algumas dicas que podem te ajudar a evitar a contaminação cruzada!
Produtos de limpeza adequados: A utilização de produtos de limpeza corretos, eficientes e seguros numa cozinha é de extrema importância e deve ser constante. Tantos os utensílios quanto os equipamentos devem ser lavados com produtos específicos para cada qual, seguindo procedimentos padronizados. Todos os produtos de limpeza utilizados na cozinha devem ser inodoros e autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Manipulação e descarte correto dos alimentos: A manipulação e descarte apropriado dos alimentos é outro fator de grande importância para manter uma cozinha de acordo com os parâmetros e normas sanitárias exigidas pelos órgãos de fiscalização, além de evitar a contaminação cruzada. Os alimentos que passarem do prazo de validade precisam ser automaticamente descartados. Entre os alimentos, alguns requerem cuidados redobrados de manipulação como os peixes e laticínios, que são extremamente perecíveis e grande risco de contaminação.

Cozinhar os alimentos em temperaturas adequadas: A temperatura durante o cozimento dos alimentos deve ser de no mínimo 70ºC. Isso se deve ao fato da maioria dos micróbios morrerem ao serem expostos a essa condição.

Armazenar adequadamente os refrigerados: Os micro-organismos se desenvolvem com facilidade em temperaturas entre os 5º e 60ºC, para que se possa garantir uma eficiente segurança alimentar, é importante que os produtos que necessitam de refrigeração sejam armazenados a uma temperatura de 4ºC para baixo.

Boas práticas de higiene: a higiene de quem irá manipular os alimentos e dos utensílios que serão utilizados devem receber uma atenção especial para evitar a proliferação de bactérias e contaminação cruzada. A lavagem das mãos, por exemplo, deve ser feita sempre antes da manipulação dos alimentos e toda vez que o colaborador entrar em contato com qualquer possível contaminante. “As bancadas, facas e outros utensílios da cozinha também devem ser limpos com frequência e com materiais adequados, que garantam o máximo de eficiência, como as escovas especiais para limpeza no setor alimentício que se adaptam a diversos tipos de instrumentos”, explica a Weinberger , fabricante de escovas para limpeza.



Website: http://www.weinberger.com.br/