1444x150

CULTURA

Casa da Cultura passa pela primeira grande reforma, em 35 anos

A Casa de Cultura de Toledo completa 35 anos. Ela é considerada uma das pioneiras do Estado. Neste ano, a Casa está passando por uma grande reforma. Em entrevista à Casa de Notícias, o secretário de Cultura do Município, Tita Furlan, fala sobre a reforma, a construção do prédio que deve receber o conservatório, e o valor social do trabalho realizado na Casa.

06/02/2011 - 11:52


O prédio da Casa de Cultura, em março, completa 35 anos. Ao longo de sua história não passou por nenhuma grande reforma. As obras que estão em andamento garantiram uma nova elétrica e hidráulica, reforma do piso, forro além das adequações de espaço e as necessárias  para garantir a segurança do público. “No ano passado, foram trocados o telhado, pois tínhamos problema de infiltração, trocamos a caixa d’água, para nos adequar as novas normas. Estamos dando uma geral na Casa da Cultura, para continuarmos a atender tantos alunos que fazem cursos neste espaço. Algumas coisas pequenas foram feitas aos longos destes 35 anos, mas uma super reforma é a primeira depois de tanto tempo”.
A reforma apesar de otimizar os espaços visa, principalmente, dar melhores condições de ensino e aprendizagem no espaço. “Os professores da Casa da Cultura têm a consciência da extrema necessidade de abrir os braços o máximo possível para atender o maior número de alunos, pois eles sempre procuram atender todas as pessoas que procuram a Casa. Quando assumi a Secretaria da Cultura eram 450 alunos. Atualmente, temos quase 800 alunos. A intenção não é fazer com que o aluno se perpetue aqui. Nós oferecemos uma iniciação, por exemplo, os alunos de violão são quase 300, eles fazem até dois anos e os alunos que participarem de ações da Secretaria da Cultura, ou seja, desejamos que eles vão as praças, enfim participem retribuindo um pouco este grande benefício de gratuitamente aprender aqui, estas pessoas vão continuar fazendo parte dos projetos da Secretaria da Cultura”.
 
Investimento
 
O secretário da Cultura explica que foi realizado três processos licitatórios, para conseguir efetivar a obra. A baixa procura se deu por conta do limite de recursos disponíveis para a reforma que era de R$ 100 mil. “Em Toledo é difícil fazer uma reforma de R$ 80 mil ou R$ 100, onde mercado imobiliário está em expansão. Na terceira licitação foi conseguido aumentar um pouco o PDI – a fórmula de cálculo que são pagos – para R$ 109 mil. Esta reforma, se fosse feita pela iniciativa privada, jamais custaria tão pouco. Foi uma súplica e, infelizmente não conseguimos uma empresa de Toledo para fazer a reforma. Ela está sendo feita por uma empresa de Marechal Cândido Rondon (MCR).  Naturalmente teremos que fazer algumas adequações no valor. A Lei nos permite que seja feito um aditivo de 20% e em alguns casos de 25% do valor da obra, porque antes de quebrarmos a parede não sabemos se aquela válvula hidráulica precisa ser trocada, ou não”.

Aulas
 
O início previsto das aulas na Casa da Cultura é para este mês, mas segundo o Secretário, algumas turmas devem ter o inicio protelado. “Conversei com o mestre de obras, daqui duas semanas, a Casa terá salas adequadas para aulas. Caso tenhamos que cancelar a data de início, não deixaremos os alunos sem aulas, elas poderão ser realizadas nas salas de ensaio no Teatro de Toledo. Não conseguiremos acolher a todos, alguns cursos terão que ser jogados mais para frente. Acredito que a reforma da Casa seja concluída em até um mês”.
 
Conservatório
 
O tão sonhado Conservatório de Toledo, deve sair do papel ainda nesta administração. Segundo Tita, na semana passada, em reunião com prefeito José Carlos Schiavinato, conversaram que nos próximos dias será definido, onde será edificado do novo museu e do conservatório. “O Prefeito tem sido muito solidário com a questão da Cultura. Tive a oportunidade de trazer novos professores de violão, pintura, violino, viola, violão celo, entre outros. Os professores concursados que ficam na Casa da Cultura tem 40h por semana para ensinar gratuitamente as pessoas. Acredito que conseguimos edificar o prédio que vai receber o Conservatório, não por um clamor nosso – gestores públicos - , mas pela necessidade de oferecer algo para as tantas pessoas que fazem cultura em Toledo. O Município é um berço de talentos. A Casa da Cultura foi idealizada no sentido de ser um conservatório. Hoje ela mudou o perfil e não atenderia mais a necessidade após 35 anos. Acredito que o conservatório se não começar neste ano junto com o museu acredito que conseguimos fazer até o ano de 2012”.
 
Investimento social
  
Em 2010 participaram da Casa da Cultura: crianças, adolescentes, adultos e da terceira idade. Eles somaram 2168 pessoas, isto representa quase duas pessoas em cada 100 que vivem em Toledo. O ano passado foi encerrado com aproximadamente 750 alunos somados com os mais de 500 alunos atendidos em outras instituições. “Não há de se considerar um valor de R$ 109 mil perto do alcance social que isto vai ter. Não que antes não pudessem serem feitas as aulas, mas imagina uma fiação, uma estrutura elétrica de 35 anos, uma Casa sofrendo infiltrações e rachaduras. Foi necessário e ainda estamos com uma batalha grande para conseguirmos colocar um elevador, pois os valores são altos e o orçamento ainda não permite. No entanto, para o próximo ano vamos guardar um dinheiro para conseguir fazer isso. Creio que o valor de R$ 109 mil perto do que será oferecido pelas pessoas é quase irrisório”.