1444x150

GERAL

Interiorização é prioridade para novo presidente da FACIAP

O recém eleito presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (FACIAP), Rainer Zielasko, disse durante entrevista coletiva nesta manhã em Toledo que uma das prioridades durante os dois anos em que estiver no cargo será a interiorização da entidade.

22/10/2010 - 09:13


Com uma proposta de alternância na direção, a Federação conta pela primeira vez com um presidente do Oeste do Paraná. A eleição aconteceu na terça-feira passada em Foz do Iguaçu durante convenção da FACIAP. Apesar de iniciar as atividades nos próximos dias, a posse festiva deve ocorrer entre os meses de fevereiro ou março de 2011.
O empresário disse ter optado por conceder a entrevista na sede da ACIT já que há poucos anos, foi presidente da Associação Comercial que aparece como uma das mais representativas do estado. “E já sentimos que há diálogo com o governador eleito, pois durante a campanha Beto Richa assinou a Carta do Oeste [reivindicações elaboradas pelo setor na região neste e no ano passado] que se mostrou muito receptivo às propostas”, considerou.

A força e a representatividade

“Estou muito honrado em assumir a presidência da FACIAP, uma entidade que representa 75% das associações comerciais de todo o estado, que reúne mais de 50 mil empresas e que representa quase 90% do PIB paranaense (...) sabemos que entre estas associações, temos entidades muito fortes e consolidadas, com força representativa, mas sabemos que existem outras que mal conseguem pagar seus aluguéis e trabalharemos muito para o fortalecimento de cada uma delas”, reforçou.
Na perspectiva de compor uma diretoria mista, Rainer deverá atribuir funções para representantes de diversas regiões do estado, pois outro aspecto a ser reivindicado corresponde à infraestrutura. “Já conversamos com o vice-governador eleito, Flávio Arns, com a senadora eleita, Gleisi Hoffmann, todos foram muito receptivos e entendemos que não temos como desenvolver ainda mais se não tivermos infraestrutura, se não houver estradas descentes, ferrovias, o nosso Aeroporto Regional”.

Acompanhe a entrevista completa em vídeo em alguns instantes na Casa de Notícias.


Texto Juliet Manfrin
Imagens Selma Becker