Casa de noti%cc%81cias 794x80 px

Compre casa

SAÚDE

Que alimento está na sua mesa?

As escolhas que fizemos dizem muito sobre nós

11/05/2018 - 16:17


  • Alimentos

No mundo moderno o valor que está na mesa é o tempo. Ele nunca é o suficiente para atender a todas as demandas, e com esta lógica fizemos opções nem sempre saudáveis. Mas como é possível parar o relógio e fazer diferente? O Colégio La Salle acredita que o primeiro passo é estimular a consciência alimentar.

O caminho é simples: aproximar-nos da natureza. Observá-la e redescobrir o quanto ela pode ser generosa ao nos oferecer o conforto psíquico e alimentar que tanto necessitamos. Esta aproximação é tão importante que o americano Richard Louv desenvolveu o conceito de déficit de natureza. Ele diz que o mundo moderno não esta percebendo que esta condição tem deixado sequelas como o aumento de depressão entre crianças, aumentado os casos de transtornos de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), além dos problemas cognitivos.

O Colégio La Salle, através do Projeto: ‘Comer bem, que mal tem?’ quer aproximar os pequenos da natureza e ensiná-los a fazerem escolhas. “Só faz escolhas quem aprende observar e compreender a importância do alimento que esta na mesa. E o objetivo do projeto é desenvolver estas habilidades nas crianças”, afirma a Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil, Rosangela Schio.

Ela acredita que a natureza ensina o conhecimento concreto. “Esta experiência melhora a coordenação motora fina, desenvolve a linguagem porque nomeamos o espaço e seus elementos, ensinamos matemática e ciências quando observamos uma semente se transformar em alimento, e ainda, promove a interação social”.

Participar do processo produtivo dos alimentos contribui para o desenvolvimento da consciência alimentar. “Quando a criança participa deste processo o alimento ganha outro sentido. Sai a resistência e entra a disposição de experimentar outros alimentos e, gradativamente, começam apreciar verduras e legumes”, aposta Renata da Rocha Frantzezos, nutricionista do Colégio La Salle.

A recomendação da nutricionista é: menos produtos processados e açúcar, mais frutas, verduras, legumes e, sempre que possível, aumentar a quantidade de fibras.