Whatsapp image 2021 02 08 at 19.08.55

CULTURA

Cultura inicia ações para viabilizar programação de eventos previstos em 2021

Em 25 dias da atual gestão, Secretaria traçou prioridades e iniciou correções na estrutura do CEU das Artes, do Museu Histórico Willy Barth e do Teatro Municipal


25/01/2021 - 19:45
Por Assessoria


Em 25 dias da atual gestão, a equipe da Secretaria da Cultura de Toledo está focada em diagnosticar as necessidades dos equipamentos públicos sob responsabilidade da pasta e em planejar as ações para 2021. O foco é permitir que as atividades do setor,  um dos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus, tenham uma retomada gradual e segura.

A secretária da Cultura, Rosselane Giordani, observa que, no que se refere à estrutura física, foi criada uma escala de prioridades em que correções no Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU), no Museu Histórico Willy Barth e no Teatro Municipal serão colocadas à frente de outras demandas. “Estamos fazendo um levantamento tanto da parte física quanto dos equipamentos que precisam de reparos. Vamos começar por aquilo que for mais urgente e, a partir das soluções destes problemas, vamos concretizar aquilo que estamos planejando em termos de programação para 2021”, explica. “Seja qual for a modalidade escolhida, presencial, online ou híbrida, queremos promover estes eventos, levando sempre em conta as orientações do COE [Centro de Operações de Emergência] em relação à situação epidemiológica da Covid-19 em nosso município”, pontua.

A primeira realização que a Secretaria de Cultura pretende implantar é a construção de mais uma sala no CEU. “O Cras [Centro de Referência de Assistência Social], está utilizando hoje uma sala que pertencia ao Centro de Artes e Esportes Unificado, obrigando que este colocasse biblioteca, telecentro e área administrativa tudo no mesmo lugar. Para que a situação retorne à configuração original de 2012, quando esta estrutura foi inaugurada, a Secretaria de Planejamento está elaborando o projeto deste novo espaço para que este possa ser licitado e concluído ainda no primeiro semestre deste ano”, estima. “Estamos em conversa com as secretarias da Juventude e de Esporte e Lazer para também fazermos outras intervenções, como a pintura da quadra, a revitalização dos grafites e a pintura das dependências internas. A ideia é que este espaço, à medida que a pandemia perder força, tenha plenas condições de receber jovens do entorno para a prática de esportes e participação de oficinas na área cultural. Todas estas ações culminarão na volta do projeto ‘Nossa Praça, Nosso CEU’”, destaca a secretária.

Rosselane anuncia que alterações significativas nas estruturas do Museu Histórico Willy Barth e no Teatro Municipal de Toledo estão a caminho. “Em breve, os técnicos da Seplan [Secretaria de Planejamento Estratégico] vão visitar o museu que, apesar de ser uma obra recente, inaugurada em 2015, necessita de manutenção, incluindo revitalização dos espaços e correção de problemas estruturais”, explica. “No teatro o ponto central é o sistema de ar condicionado, que atualmente ainda opera com 50% de sua capacidade. Por serem ainda da época da inauguração, ou seja, 22 anos atrás, estes equipamentos precisam de ajustes que demandam investimentos estimados em R$ 80 mil”, salienta.

Programação

Estar com as estruturas físicas em plenas condições é fundamental para a ampla programação de eventos que a Secretaria da Cultura pretende promover em 2021. O primeiro deles está marcado para 27 de março, Dia dos Pioneiros. “Esta homenagem aos primeiros moradores de nosso município vai ser feita no centro de eventos, levando em conta a realidade da pandemia. De acordo com a orientação que o COE nos der, faremos ou numa espécie de drive-in ou com transmissão via rádio e redes sociais. Ainda que não seja possível realizar o evento na data programada, o importante é que não deixaremos esta data passar em branco e vamos dar  um mimo da administração municipal para nossos pioneiros. Ano que vem esperamos que estas comemorações voltem a ser realizadas de forma presencial, da forma como sempre foi”, destaca. “Nesta ocasião também lançaremos o Concurso Literário ‘Memórias, relatos e narrativas do Pioneirismo do Município de Toledo’, um projeto cuja única edição ocorreu em 2016 e que volta neste ano. Nossa intenção é premiar os três melhores, reunir os melhores textos numa coletânea e publicá-los em livro que será distribuído a partir da semana do aniversário de Toledo e distribuído para toda a rede municipal de ensino”, descreve. 

A secretária de Cultura observa que alguns eventos culturais tradicionais de Toledo podem ser realizados mesmo num cenário epidemiológico desfavorável. “Seja online ou presencial, é possível colocar em prática, por exemplo, os festivais. O Curta Toledo, festival de curtas-metragens, pode ser realizado sem aglomerações, com a parte de oficinas, produção de filmes, exibição e premiação ocorrendo a distância. O mesmo pode ser feito em relação ao Festival de Inverno (Festin), ao Festival Gospel, ambos previstos para julho, e ao Toledo em Dança, com retorno programado para agosto depois de não ser feito em 2020”, comenta.

Falando em recomeços, a Semana Farroupilha voltará a ser realizada em setembro; para outubro está sendo programado o Encontro de Corais, em versão repaginada (não era feito desde 2016), com duração de uma semana em que serão ministradas oficinas para cantores e regentes e dois dias dedicados a apresentações. Em alusão ao aniversário de 22 anos do Teatro Municipal, eventos comemorativos serão realizados em novembro; para a semana do aniversário de Toledo, em dezembro, a Secretaria de Cultura prepara a tradicional Virada Cultural.


Apoio aos artistas
O apoio à classe artística será outra importante linha de trabalho que a Secretaria de Cultura terá em 2021. “Quem atua neste setor foram os primeiros a pararem e serão os últimos a retomarem seus trabalhos da forma como era antes da pandemia. Por isso, a linha-base desta gestão é fazer artistas e empresas do ramo retomarem gradativamente suas atividades, de forma segura e equilibrada”, sublinha. “De início, temos a ideia de voltar com o ‘Arte na Praça’ em ambientes externos de bairros e distritos e, a partir daí, retomarmos aos poucos uma rotina bastante intensa de atividades culturais”, pontua.

Rosselane lembra ainda que caberá à pasta o gerenciamento das contrapartidas que os beneficiados pelos recursos da Lei Aldir Blanc precisarão oferecer. “Mais de R$ 800 mil foram destinados pelo governo federal ao nosso município e o retorno deverá ser dado por meio de apresentações de diversas expressões que serão disponibilizadas por estes artistas ao público em diversas plataformas. A Secretaria de Cultura terá papel decisivo tanto em fazer cumprir o acordo realizado quanto em distribuir estas ações no decorrer do ano para que elas tenham visibilidade e relevância”, avalia.

Casa da Cultura

Em 2020, as aulas dos cursos e oficinas oferecidos pela Casa da Cultura precisaram passar por ajustes, sendo realizadas online ou presencialmente com número restrito de alunos. Para este ano, o cenário é ainda incerto e, segundo a secretária, será definido na primeira quinzena de fevereiro, quando os professores do espaço retornam de férias.

Rosselane informa que, após conversa com os docentes, será criado um calendário de matrículas para 2021. “Nosso objetivo é fazer com que não seja necessária a formação de filas para os interessados se inscreverem nos cursos e oficinas da Casa da Cultura cujos professores também decidirão em qual modalidade as aulas serão ofertadas”, salienta.


Casa de not%c3%adcias %281%29