1444x150

PANDEMIA

COE mantém Bandeira Vermelha pra Covid-19 em Toledo

A semana epidemiológica SE02/2022 (entre 09 e 15 de janeiro) bateu o recorde de casos suspeitos desde o início da pandemia
18/01/2022 - 18:58
Por Assessoria


Um verdadeiro salto no número de casos suspeitos de Covid-19 nas duas primeiras semanas epidemiológicas do ano movimentou os serviços de atendimento público e privado do município. As queixas de sintomas gripais (tosse, coriza, dor de garganta, febre, entre outros) se tornaram muito frequentes, gerando filas até em farmácias, planos de saúde e serviços que realizam testagem. 

A semana epidemiológica SE02/2022 (entre 09 e 15 de janeiro) bateu o recorde de casos suspeitos desde o início da pandemia, foram registrados 3508 casos no total. A semana anterior, SE01/2022 (entre 02 e 08 de janeiro) foram 2096 casos suspeitos. A previsão dos profissionais de saúde é que haja um aumento dos casos suspeitos nos próximos dias. 

Se considerar a média móvel de casos, há 14 dias era de apenas dois casos, em seguida evoluiu para 67 casos há uma semana e atualmente a média móvel diária de casos é de 159.

Ao avaliar o cenário atual, em reunião realizada de forma remota nesta terça-feira (18), o Centro de Operações Emergenciais (COE) manteve a Bandeira Vermelha para os próximos sete dias, indicando um alto índice de transmissão para o coronavírus em Toledo. 

Atendimento
Apesar da maioria dos casos estarem apresentando sintomas leves, já foi o suficiente para lotar as recepções dos serviços de saúde, em especial o Pronto Atendimento Municipal (PAM). A direção do serviço reforçou que o município segue o Protocolo de Manchester, ou seja, é feita uma classificação de risco para cada paciente que aguarda atendimento e a prioridade sempre será dos casos mais graves, portanto, não se leva em consideração a ordem de chegada e, em algumas situações, a pessoa acaba aguardando mais que outras para ser atendida. 

Imunização
Os profissionais de saúde reforçam que as vacinas são eficientes, mas que é necessário concluir o esquema de vacinação para que a imunização esteja completa. Muitas pessoas já poderiam ter tomado a terceira dose ou a dose de reforço. Mesmo pessoas vacinadas podem contrair o vírus e contaminar outras pessoas. Ao tomar a vacina, diminui o risco de piora caso venha a se contaminar e desacelera a cadeia de contágio. 

Vacina

Nesta terça-feira (18) Toledo deu início a vacinação de crianças entre cinco e onze anos com deficiência, comorbidade ou em abrigos institucionais.