Banner topo divulga%c3%87%c3%83o

Compassion 857747 1920

CULTURA

Literatura na estrada é assim que Cléo Busatto tem encantado pequenos leitores

Mais de quatro mil crianças são convidadas a se encantar pela literatura infanto-juvenil contada pela própria autora

04/04/2016 - 12:26


  • Cl%c3%a9o busatto   cr%c3%a9dito cadi busatto %285%29
  • Cl%c3%a9o busatto   cr%c3%a9dito cadi busatto %283%29

Onde fica a fronteira de quem cria mundos, personagens e histórias e quem mergulha nestes mundos? Quando o contador de histórias se mistura com seu público, novas histórias ganham significados e outros mundos podem ser sentidos e vividos.  O autor deixa seu casulo criativo e passa ser o encantador de leitores. Está é a história de Cléo Busatto, uma escritora paranaense que não se contentou em apenas escrever histórias, mas quis contá-las, interpretá-las para seu público. Desde março, deste ano, ela percorre pequenos municípios paranaenses – lugares de difícil acesso cultural para levar a magia da literatura a mais de quatro mil crianças, além de oferecer oficinas para multiplicadores - novos encantadores de histórias.

Formar público leitor é um desafio que sempre acompanhou Cléo Busatto. Na sua trajetória já narrou suas histórias para mais de 100 mil pessoas no Brasil e no exterior. Em 2010, ela embarcou no Projeto Formosos Monstros que tinha como proposta reunir som, texto e imagens em movimento. Este encontro de linguagens tinha um único objetivo acender o imaginário do seu público. Em 2016, foi à vez do Projeto Histórias da Cléo PR1. A autora, encantadora de leitores confessa que partilhar seu trabalho com seu público ressignifica o seu trabalho. “Quando mergulhamos no mundo que criamos, estamos nos dando a oportunidade de nos observar com o olhar de quem nos lê e, nos desafiamos para outras histórias, outros personagens. É uma cumplicidade maior com o meu público”.

Cléo Busatto fala do seu próprio encanto em contar e interpretar suas histórias, nos municípios que percorre. “É uma emoção e uma experiência nova de vida a cada município que passamos com o Projeto Histórias da Cléo PR1. Perceber o encantamento das crianças, diante de cada personagem que ganha vida nas palavras do contador de histórias é a certeza que ali estamos semeando a paixão pela leitura. Quem lê histórias lê o mundo, se reinventa, é mais criativo – é mais cidadão”.

A segunda etapa do Projeto desenvolve oficinas de formação de contadores de história intitulada ‘Contar e Encantar, Pequenos Segredos da Narrativa’. Os agentes de leitura dos 19 municípios paranaense, por onde o projeto passa, são convidados a participarem deste trabalho. “Serão realizadas duas oficinas para o público prioritário de bibliotecários e agentes de leitura das Bibliotecas cidadãs, das bibliotecas escolares e mediadores de leitura da comunidade, a fim de capacitá-los como mediadores de leitura e torná-los aptos a desenvolver ações de fomento à leitura junto ao público da sua cidade”, explica Cléo.

O Projeto

O projeto ‘Histórias da Cléo PR1’ circula por 19 cidades, onde estão programadas mais de 77 ações em dois atos: intervenção artística literária para crianças de 6 a 11 anos e oficina de formação de contadores de história. As atividades são promovidas pelo Ministério da Cultura com o patrocínio da Copel, a partir da seleção do projeto no programa Circula Paraná, da Secretaria de Estado da Cultura.

Sobre Cléo Busatto

Cléo Busatto iniciou seu caso de amor com as palavras aos quatro anos e não parou mais. Lançou seu primeiro livro em 2002 e é uma contadora de histórias, tendo sido ouvida por mais de 100 mil pessoas, no Brasil e no exterior. Convocou sua menina interior e escreveu vários livros, depois convocou sua adolescente e escreveu A fofa do terceiro andar. Suas obras fazem parte de programas de leitura e catálogos internacionais, como o da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Colaboradora de jornais e revistas, além de escrever, Cléo gosta de gatos e de viajar. Suas experiências pelo mundo a fora inspiram novas histórias, que ela tem prazer em oferecer ao leitor.