-

Compre casa

EDUCAÇÃO

Delação premiada foi tema de palestra na Semana Jurídica da FAG Toledo

Um dos convidados da noite falou sobre sua atuação como advogado criminal na operação Lava Jato em Curitiba

04/10/2018 - 16:28


  • Capaaaasemnjurter

    Foto: FAG Toledo/Assessoria

  • Capajur2 easy resize.com

    Foto: FAG Toledo/Assessoria

A segunda noite da VII Semana Jurídica da FAG Toledo contou com a participação de profissionais renomados participando dos debates e palestrando aos acadêmicos presentes no auditório da instituição nesta terça-feira (2). A Palestra de abertura foi com o doutor Eroulths Cortiano Junior que abordou o tema “Advocacia: desafios da profissão e da regulação”.

Durante sua fala o docente alertou os acadêmicos sobre as responsabilidades de quem advoga. “Aquele que se inscreve na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ou seja, o bacharel em Direito, que tem toda aquela formação técnica, crítica e ética passa a ter um estatuto jurídico próprio e incide sobre ele uma série de regras peculiares. É como um casamento onde existem regras, direitos e deveres a partir do momento em que se casa. O advogado passa a ter um regime jurídico pautado por uma série de prerrogativas e uma regulação fiscalizatória muito forte”, explica.

Na segunda parte da noite o doutor André Luiz Pontarolli trouxe o tema “Colaboração premiada e os novos desafios da advocacia criminal”. O advogado convidado relatou sobre sua experiência profissional dentro da Operação Lava Jato que acontece em Curitiba. “Tenho uma boa experiência em vários casos onde se realizou a delação premiada que é este expediente probatório de ordem criminal que é desafiador para o profissional advogado. A advocacia criminal é uma função difícil onde muitas vezes se luta contra o sistema e a colaboração premiada é uma oportunidade para a defesa encurtar algumas situações, mas por se tratar de um instrumento novo a lei não está perfeitamente regulamentada o que deixa brechas, mas a tendência é de que seja um instrumento importante na área do direito criminal”, relata.