Compre casa

CULTURA

Sanepar abre exposição de arte de mulheres negras

Espaço aberto ao público reúne, em Curitiba, obras do Coletivo Ero Erê, que visa dar mais visibilidade à artista negra

29/11/2018 - 14:02


  • Exposi%c3%a7%c3%a3o sanepar aen

    Foto: AEN/Assessoria

A Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) abriu nesta quarta-feira (28), em Curitiba, a Exposição Ero Erê: Mulheres Artistas, com obras de sete artistas negras. São oito trabalhos, entre pinturas, fotografias, assemblage e instalação têxtil. A exposição está aberta ao público, na Sala Engenheiro Tadeu Wantroba, na sede da Sanepar, Rua Engenheiro Rebouças, 1376. O horário de visitação é das 8h às 17, de segunda à sexta-feira, até 28 de fevereiro.

Ao abrir o espaço para essas artistas, a Sanepar reafirma o compromisso com a equidade de gênero, explica o coordenador de Patrimônio Histórico da Sanepar, Junio Ferreira Lima. Além disso, a exposição marca as atividades do Mês da Consciência Negra. Simultaneamente, o Coletivo Ero Erê está com exposições na sede da Secretaria de Estado da Educação e no Museu Paranaense.

A artista e curadora da exposição Walkyria Novais, que trabalha na Coordenação de Museu e nos Centros de Educação Socioambiental da Sanepar, afirma que as obras escolhidas além da qualidade estética são resultado de uma pesquisa em arte. “O nosso grupo é bastante diverso porque cada uma tem a sua ocupação profissional, mas somos mulheres negras que temos a arte como foco em nossa vida”, afirmaa. Ela tem formação em Artes e especialização em História da Arte e Curadoria. Walkyria faz pintura com uso de tintas naturais e utiliza material reciclável, como lonas e banners.

“Expor de forma coletiva fortalece o nosso grupo e o nosso propósito de dar mais visibilidade a um trabalho voltado à comunidade negra, às mulheres”, disse a jornalista e fotógrafa Fernanda Castro. Com exposição em vários países, Fernanda Castro faz vários registros fotográficos de mulheres, da cultura, religiosidade e comunidades negras, como a exposição Comunidade Quilombolas do Paraná.

A artista Cláudia Lara já participou de várias exposições coletivas e individuais no Paraná, São Paulo, Paraíba, Portugal, França, Cuba, Nova York, México, Peru e Argentina. Já teve obra premiada em primeiro lugar na “Exposition Biennale d’Art Contemporain Brésilien Et Latino Américain”, em Paris.

Elis Brasil é graduanda em Artes e desenvolve pesquisa sobre a invisibilidade artística e intelectual da mulher negra na história da arte. Ela faz pintura, gravura e escultura e também utiliza tecidos como suporte artístico.

Kênia Cristina tem a produção focada na pintura da figura feminina negra sobre materiais rejeitados com um olhar subjetivo e acolhedor sobre essas mulheres.

Lana Furtado trabalha com fotografia de famílias, retratos femininos, paisagens, fotografia documental e autoral. Ela desenvolve um projeto de fotografia com mulheres apenadas do Presídio Feminino de Piraquara.

Lourdes Duarte, formada em Artes Visuais, faz pinturas que buscam o resgate de memórias da infância. Tem especialização em Arte Inclusão na Educação Especial.

 

Fonte: AEN