Compre casa

TECNOLOGIA

Estudantes têm seis semanas para desenvolver duas soluções para o PTI

Duas equipes de alunos de diferentes cursos e regiões do país participam do Programa Summer Job

11/01/2019 - 12:59


  • Summerjob easy resize.com

    Foto: Assessoria/´PTI

Oito estudantes de diferentes cursos e regiões do país, divididos em dois grupos, estão reunidos no Parque Tecnológico Itaipu (PTI) com uma missão: entregar uma solução para dois problemas da instituição nas próximas seis semanas. O desafio é parte do Programa Summer Job, promovido pelo Instituto Cesar, e possibilita aos alunos uma experiência prática, com tutoria de profissionais e treinamentos em metodologias de apoio, como Design Thinking e gerenciamento de projetos. 

Os estudantes que participam da edição do Summer Job no PTI, que teve início na segunda-feira (08), receberam duas propostas de trabalho. Um dos grupos precisará desenvolver uma solução para a entrada de pessoas no novo acesso independente do Parque, que está em construção, e o segundo grupo terá como foco o controle do fluxo de turistas nos ônibus do Complexo Turístico Itaipu (CTI), administrado pelo PTI. 

O gerente da Incubadora do PTI, Pedro Sella, explica que, nesta primeira semana, os participantes vão entender os desafios propostos. Ao final de cada semana do Programa, eles devem fazer uma entrega da solução, que será validada pela equipe. “Nas próximas semanas eles vão começar a desenvolver o protótipo, um modelo de negócio e se preparar para a apresentação final”, afirma. 

Uma equipe de profissionais de diversos setores do Parque está envolvida no Summer Job, como do Programa de Desenvolvimento de Negócios, de Tecnologia da Informação e Comunicação e de alguns projetos do PTI. A iniciativa é interessante para o Parque porque envolve oito pessoas desenvolvendo um projeto de forma exclusiva que, em pouco tempo, deverão apresentar uma prova de conceito de algum produto para resolver problemas da instituição.

Expectativas 

O estudante de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em Santa Catarina, Fabrizio Silva Campos, acredita que a interação com a equipe seja o principal ganho da experiência no Summer Job. “É uma equipe que acaba se completando e eu tenho muitas expectativa em realmente ver, na prática, acontecer tudo aquilo que estamos planejando”, diz. “E a gente sabe que aqui no PTI temos toda a estrutura e suporte para realmente colocar em prática”, complementa. 

Ao saber da experiência de dois colegas de faculdade no Summer Job, Joaquim Haroldo Torquato de Souza Junior, da cidade de Russas, no Ceará, decidiu participar do Programa. Estudante de Engenharia de Software, ele integra o grupo responsável pela solução para o controle do fluxo de turistas nos ônibus do PTI.

No segundo dia, o grupo de Joaquim já estava colocando as ideias no papel. “A gente recebeu essa questão e logo na cabeça vieram várias ideias. A gente quer conhecer cada vez mais as necessidades do pessoal do PTI para desenvolver uma solução junto a eles”, comenta.  “Para nós é um conhecimento pessoal muito grande, porque é uma experiência profissional em que vamos lidar com problemas reais”. 

 

Por: PTI/Assessoria