Banner topo divulga%c3%87%c3%83o

Autismo selo

CIÊNCIA

Unioeste transfere tecnologia à iniciativa privada

A tecnologia visa o controle do ácaro-vermelho-de-galinhas-poedeiras

09/05/2019 - 21:30


  • Galinhas

    Detalhe dos focos de ácaros na superfície do comedouro (local que recebe a pulverização)

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste assinou no último mês o contrato de fornecimento de know-how à Fundação de Apoio ao Ensino, Extensão, Pesquisa e Pós-graduação, e a empresa Vet Science Nutracêuticos Ltda, sediada na cidade de Maringá.

O contrato tem por objeto o fornecimento exclusivo pela Unioeste à Vet Science do know-how intitulado “Formulação e utilização da terra de diatomáceas em suspensão aquosa”, para produção e comercialização. A tecnologia desenvolvida pela equipe de pesquisadores do Laboratório de Biotecnologia Agrícola da Unioeste, Campus de Cascavel, para o controle do ácaro-vermelho-de-galinhas-poedeiras.

O estudo está inserido na linha de pesquisa do Prof. Dr. Luis Francisco Angeli Alves, coordenador do projeto, e contou com a participação efetiva de alunos do curso de graduação em Ciências Biológicas-Bacharelado e do Programa de Pós-graduação em Conservação e Manejo de Recursos Naturais (PPRN). “Os resultados são frutos da dedicação de mais de 5 anos da equipe, que contou com apoio logístico da Lar Cooperativa Agroindustrial e financiamento do Conselho Nacional de Ciência e Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e CAPES, por meio da concessão de bolsas de estudo de distintas modalidades e da própria empresa Vetscience Bio Solution Ltda”, avalia o Pesquisador.

Segundo o professor Angeli Alves, esse ácaro é de grande importância para avicultura de postura comercial. “Sendo um ácaro hematófago, leva à perda excessiva de sangue pelas aves, além de causar distúrbios fisiológicos e comportamentais que afetam diretamente a saúde das aves e contribui para redução da produtividade do plantel, além de causar incômodos para o produtor.

No lugar de acaricidas químicos, a pesquisa resultou em um produto de origem mineral (terra de diatomáceas) e em pó, que por meio da adição de adjuvantes tornou-se passível ser utilizado de forma líquida, em pulverizações. Por agir fisicamente, o produto (denominado comercialmente de FISICONTROL) destrói fisicamente a superfície dos ácaros, desgastando o esqueleto externo, de forma a levar à perda excessiva de água e morte dos ácaros em todas as suas fases de vida. É um produto comprovadamente seguro para as aves, ambiente e ser humano, e ainda, seu modo de ação não permite o desenvolvimento de populações de ácaros resistes. Trata-se de algo inovador no contexto da avicultura brasileira e segue uma tendência mundial nessa categoria de produtos para o controle de ácaros.

 

Da Assessoria com edição da redação