Banner topo divulga%c3%87%c3%83o

Compassion 857747 1920

EDUCAÇÃO

UFPR oferta parceria para implementação de disciplinas transversais em universidades paranaenses

A modalidade já é oferecida nos cursos de mestrado e doutorado da instituição, para todas as universidades do Paraná, federais e estaduais

15/07/2019 - 16:36


  • Ufpr

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) apresentou a proposta de implementar as disciplinas transversais, modalidade já oferecida nos cursos de mestrado e doutorado da instituição, para todas as universidades do Paraná, federais e estaduais. A ideia é promover a integração dessas universidades aproveitando diferentes expertises, otimizando recursos e ofertando um ensino em rede de qualidade.

O objetivo das disciplinas transversais é disponibilizar disciplinas comuns a várias áreas de ensino em turmas únicas – presenciais e a distância. Com isso, os esforços dos corpos docentes de cada curso podem ser direcionados integralmente para suas áreas de especialidade, além de contar com profissionais de excelência em cada assunto.

Foi a partir dessa experiência bem sucedida desenvolvida pela UFPR que partiu a iniciativa de aproximar as universidades paranaenses. “Ao invés de cerca de 300 programas diferentes no estado ofertarem a mesma disciplina, podemos disponibilizar, de forma integrada e em rede, o mesmo conteúdo a todos. Matérias como metodologia da pesquisa e filosofia da ciência, por exemplo, são comuns a diversos cursos e assim, podemos reunir os melhores professores de diferentes áreas para promover ensino de alta qualidade”, explica o coordenador de Programas de Pós-Graduação da UFPR, André Luiz Felix Rodacki.

Foto: Leonardo Bettinelli

Na primeira fase de implementação do projeto, serão ofertadas 400 vagas para as universidades paranaenses na disciplina de “Escrita acadêmica em inglês”. O conteúdo visa a oferecer aos estudantes a base para redigir um texto acadêmico em língua inglesa, com foco em artigos científicos. Na UFPR, a disciplina foi a precursora e consolidou a modalidade após levar mais de 500 alunos para assistirem às aulas.

Em um segundo momento, em 2020, cada universidade vai selecionar professores que possam ministrar conteúdos para todas as instituições participantes. “Na sequência, pretendemos atuar em disciplinas afetas a subáreas como gerenciamento de banco de dados e cálculo, que são comuns a programas diferentes, porém de áreas de conhecimento específicas.

Segundo Rodacki, com o projeto a formação dentro do estado passará a ser melhorada. “É uma relação de troca entre as instituições extremamente proveitosa e profícua sob o ponto de vista de utilizar as excelências que temos nas nossas universidades para que os alunos tenham a melhor formação possível”.

A primeira etapa deverá servir como teste e possibilitar ajustes e melhorias técnicas, pois é necessário ter certeza que todas as universidades vão ter condições de receber sinal digital com qualidade. A previsão é que as aulas de “Escrita acadêmica em inglês” iniciem no dia 28 de agosto.