Casa de noticias

Compassion 857747 1920

EMPREENDEDORISMO

Empreendedorismo em ação: sete dicas para turbinar seus negócios em 2020

Segundo o Serasa Experian, em agosto de 2019 atingimos o recorde de abertura de novas empresas desde 2010.

07/01/2020 - 18:34
Por Assessoria de Imprensa Tailor Made Comunicações


Empreender é o verbo da vez. Nos últimos anos, diante do cenário adverso no país, marcado pela elevada taxa de desemprego, muitos brasileiros viram a porta do empreendedorismo como uma grande oportunidade de obter renda e crescer. Segundo o Serasa Experian, em agosto de 2019 atingimos o recorde de abertura de novas empresas desde 2010. Mas os desafios são, sem dúvida, enormes. Um levantamento do Sebrae Nacional aponta que de cada quatro empresas abertas no Brasil, uma fecha as portas antes de completar dois anos de existência.

Ao olhar as projeções econômicas para o país no curto e médio prazo, as previsões são bem otimistas: crescimento do PIB na casa dos 2% ao ano, desemprego com tendência de queda, inflação controlada e juros básicos em patamares baixos. “Trata-se de uma conjuntura muito favorável para as empresas e uma janela de oportunidades para novos negócios. A aprovação recente da nova Lei de Liberdade Econômica vai facilitar bastante a vida do empreendedor”, comenta o economista Rodrigo Fiszman, sócio-fundador da Solum, empresa focada no investimento de participações de empresas.

Por esse motivo, Fiszman preparou sete dicas para empreendedores tenham sucesso em seus negócios:

1. Leve a sério a necessidade de planejamento

Aproveite o início de ano para organizar a casa. Defina os objetivos e resultados chave para sua empresa em 2020 (o ideal é que sejam poucos, ou até mesmo apenas um, pois manter o foco é fundamental), e a partir desse(s) objetivo(s) macro, crie os objetivos e metas por área. Para aqueles que ainda não estão familiarizados com o assunto, vale conhecer a metodologia de OKRs (objetivos e resultados chaves) utilizada pelo Google, Twitter e outros. A Endeavor disponibiliza um artigo interessante sobre isso: “13 passos do Roadmap para adoção de OKR”.

2. Foque sempre no cliente

Faça pesquisas, converse pessoalmente e esteja atento a cada detalhe de comportamento, rotina, novas demandas e tendências. Tenha uma cultura empresarial focada nos clientes, porque só assim será possível retê-los, aprimorando produtos ou serviços, para ter condições de avaliar a ampliação da sua atuação e conquista de novos públicos.

3. Mantenha as finanças separadas

Por mais óbvio que possa parecer, muitos empreendedores ainda não separam as despesas pessoais das empresariais. Esse é um dos maiores erros que se pode cometer. Custos e despesas precisam ser discriminados corretamente, de preferência especificados por centro de custo, de forma que o controle financeiro e plano de orçamento da empresa não sejam comprometidos. Para organizar as retiradas é importante que os sócios executivos estipulem um valor mensal a ser recebido como pro-labore, e provisionem um montante para administrar contingências e reinvestir na própria empresa. Uma vez atendida a necessidade de capital do negócio, o saldo pode ser retirado como dividendos.

4. Tenha uma estratégia de comunicação

Como sua empresa está se comunicando com os stakeholders, ou seja, colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros? Estratégias de comunicação devem ser adotadas em qualquer negócio, independente do porte. Qual vai ser o estilo e o tom da marca?  Com qual público pretende se conectar? A gestão dos diferentes canais e ferramentas disponíveis – muitas gratuitas ou de baixo custo, como redes sociais, newsletter, e-mail marketing, WhatsApp, website, anúncios em mídias locais, etc – deve seguir uma orientação macro. Use a criatividade para estreitar relações e atingir novos públicos, construindo uma identidade particular para a empresa.

5. Fique atento às diferentes fontes de captação

Empresas no geral, mesmo aquelas de pequeno porte, podem captar financiamento público ou captar diretamente de pessoas ou organizações privadas que tenham recursos e apetite para investir. Para viabilizar esse tipo de operação, a nova Lei de Liberdade Econômica permite a emissão de Debêntures de companhias limitadas (LTDAs), opção antes disponível apenas para grandes corporações, constituídas como Sociedades Anônimas.

6. Acompanhe a indústria de Venture Capital

Você sabe o que são gestoras de Venture Capital? Essas instituições administram recursos próprios e/ou de terceiros, reunindo capital em fundos com objetivo de comprar participações em empresas - de startups a negócios de médio porte - visando proporcionar retornos com os investimentos. Há gestoras de Venture Capital focadas nos mais diferentes setores e geografias, como, por exempl,o a Solum VC, que busca PMEs com grande potencial por todo país. Vale a pena pesquisar sobre esse segmento, entender o perfil das gestoras, e avaliar se faz sentido para o seu negócio atrair um fundo de investimento como sócio estratégico.

7. Seja resiliente

Todo empreendedor deve ter na veia a persistência. A trajetória de crescimento de qualquer empresa enfrenta altos e baixos, e problemas precisam ser enfrentados todos os dias, independente do tamanho e sucesso do seu negócio. Faz parte do jogo. Seja persistente, otimista e realista, pois os resultados nem sempre chegam no curto prazo.