Whatsapp image 2021 02 08 at 19.08.55

SAÚDE

A vacina chegou, mas atende pouco mais de 6% da população prioritária do Paraná

Toledo recebeu 1520 doses, o Paraná quer vacinar mais de 4 milhões de pessoas e recebeu pouco mais de 265 mil doses 
20/01/2021 - 18:30
Por Redação


Ao mesmo tempo em que as vacinas representam um alento à população, ainda não é hora de relaxar. É um começo, mas longe do fim! Da demanda no Estado do Paraná para atender a população prioritária estimada para a Campanha Nacional de Vacinação, 4.049.801, as doses disponibilizadas pela União, 265.600, representam em torno de 6,56%, do necessário.
O Paraná recebeu do Ministério da Saúde 265.600 doses nessa primeira etapa, reservadas para a população indígena, profissionais de saúde que atuam diretamente na pandemia, idosos que vivem em asilos e seus cuidadores e pessoas com deficiência severa.
As doses foram divididas em dois lotes de 132.540: um foi encaminhado imediatamente e outro será encaminhado após três semanas (intervalo de aplicação entre as doses). O armazenamento está sendo feito no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), que conta com ampla estrutura de freezers e câmaras frias.
 
Toledo recebeu 1520 doses, destas 140 serão destinadas a idosos e trabalhadores em Instituições de longa permanência, as demais se destinam aos trabalhadores da saúde que estão atuando na atenção a Covid-19.
 
As pessoas que forem imunizadas, neste momento, tem a garantia da segunda dose, mas as demais remessas para outras pessoas prioritárias, alvos da Campanha de Vacinação, dependem da importação de insumos da China e da Índia, para que a Fiocruz e o Butantã possam fabricar o imunizante. 
 
Num ato simbólico Toledo vacinou hoje alguns profissionais da saúde que estão no front do enfrentamento à Covid-19.
 
Naiara Caroline Cabrera, 29 anos. Fisioterapeuta, trabalha há 5 anos na área. Atua no Hospital Bom Jesus (HOESP), Hospital Geral da Unimed (HGU) e Intensicor. Está na linha de frente há 9 meses. Mora com a irmã.
 
Giliardi dos Santos Silva, 36 anos. Enfermeiro, trabalha há 15 anos na área, porém há 10 anos está no Pronto Atendimento Municipal (Mini Hospital) e desde o início da pandemia na linha de frente. Mora com a esposa e enteado.
 
Reni Teresinha Nardi Gregório, 49 anos. Técnica em Enfermagem. Trabalha no Hospital Geral da Unimed (HGU) há 21 anos. Está na linha de frente desde Maio de 2020. Casada, mãe de dois filhos, mora com o marido e filha.
 
Ângela Aparecida dos Santos, 40 anos. Auxiliar de Serviços Gerais. Trabalha no Pronto Atendimento Sempre Vida. Está na linha de frente há 8 anos. Casada, mãe de um filho. Mora com o marido.
 
Rodrigo Moura de Oliveira, 49 anos. Médico anestesiologista. 25 anos de carreira, atua na linha de frente da pandemia desde julho de 2020, no Hospital Bom Jesus (HOESP).
 
Incertezas
Toledo já perdeu 112 vidas para a Covid-19, para que não percamos mais vidas, e mais pessoas possam aguardar a chegada da vacina, faça a sua parte: Evite aglomerações, use máscara de forma correta, cobrindo boca e nariz. Lave suas mãos diversas vezes ao dia, com água e sabão e, quando não for possível, use álcool em gel. Mantenha a distância das pessoas, pelo menos 1,5 metro em todos os locais. Proteja os idosos!
 
Casa de not%c3%adcias 1144x250px