Casa de noti%cc%81cias banner 794x80px

EDUCAÇÃO

FAG Toledo celebra Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais

Instituição conta com acadêmicos surdos, intérpretes e professores de Libras
23/04/2021 - 12:06
Por Assessoria de Imprensa


Neste sábado (24) é comemorado o Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais (Libras). A data é celebrada na FAG Toledo, instituição que conta com acadêmicos surdos, intérpretes de Libras e um curso de Licenciatura em Libras, junto com Língua Portuguesa. Uma das entusiastas do Ensino e defensora da importância da Libras na sociedade é a intérprete Denise Dumke, professora de Libras da instituição.

 “Quanto mais pessoas conhecem a Língua de Sinais do Brasil mais os surdos estarão inclusos. É muito gratificante ver a pessoa que trabalha no comércio, no supermercado em empresas, nas escolas em Instituições públicas se interessarem em aprender Libras para se comunicar com as pessoas surdas”, alerta. 

De acordo com dados da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis) a Língua Brasileira de Sinais (Libras) é utilizada por aproximadamente cinco milhões de pessoas no país e é a principal forma de comunicação para boa parte dos cidadãos surdos. O Dia Nacional da Libras, de acordo com Denise, é uma data para se trabalhar a conscientização e a inclusão. 

“É de extrema importância para a comunidade surda, pois relembramos as lutas históricas por melhores condições de vida, trabalho, educação, saúde, dignidade e cidadania. Não é necessário estar em uma posição profissional de trabalho direto com os surdos ou mesmo ser alguém que tem algum grau de relacionamento com uma pessoa surda para compreender a importância da comunicação em Libras com essas pessoas”, explica.

Além da professora Denise, a FAG Toledo também conta com as intérpretes Débora Michela Prediger e Tatiani Tielle Pena.

Libras


A língua surgiu na década de 1850 com a união da antiga língua de sinais brasileira com a língua de sinais francesa, ensinadas no Instituto Nacional da Educação de Surdos (INES). Foi reconhecida oficialmente como meio de comunicação e expressão em 2002 e desde 2015 passou a ser um direito assegurado na educação, trabalho e cultura, com a sanção da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (lei nº 13.146/2015).
Casa de not%c3%adcias