Casa de noticias 794x80px

CULTURA

Toledo celebra Dia da Consciência Negra com semana repleta de atividades

Nesta terça-feira (16), a programação iniciou às 9h com contação de histórias infantis e oficina de bonecas Abayomi na Biblioteca Pública Municipal
16/11/2021 - 11:08
Por Assessoria


Feriado em várias cidades do Brasil, o Dia da Consciência Negra não passará despercebido em Toledo. Em alusão à data, lembrada em 20 de novembro, o governo municipal, por meio da Secretaria da Cultura, promoverá eventos em vários pontos da cidade entre os dias 16 e 21 deste mês. 

Nesta terça-feira (16), a programação iniciou às 9h com contação de histórias infantis e oficina de bonecas Abayomi na Biblioteca Pública Municipal. A extensão da Vila Pioneiro deste equipamento público será palco, às 14h, de contação de histórias infantis e neste mesmo horário o Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer recebe exposição de artesanato com a temática afro (Grupo Tenda) e a roda de conversa com os professores Francy Rodrigues da Guia Nyamien (da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste) e João Lopes (da Secretaria de Estado da Educação - Seed/PR), que abordarão, respectivamente, os temas “Diversidade Cultural e as Questões Étnico-Raciais” e “A importância da compreensão das questões étnico-raciais em todos os espaços da esfera pública” - a mediação ficará a cargo da professora Caroline Recalcatti, da Secretaria Municipal da Educação (Smed).

Amanhã (17), às 15h, o Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer segue com a exposição de artesanato com temática afro (Grupo Tenda) e abrigará também a roda de conversa sobre “Desigualdade racial” ministrada pela ex-integrante do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial do Paraná (Consepir), Cláudia Augusta Ikandayo dos Santos, e mediada por Ney Arboleia, professor da Smed. Outra roda de conversa, promovida pelo Quilombo Tekohá com apoio da Secretaria da Cultura, na sede do coletivo, trará o tema “Cultura e Etnia” e tem as presenças confirmadas da professora Eliane Moura e do servidor público federal aposentado Domingo Douglas Pereira.

Na quinta-feira (18), três lugares receberão atividades da programação da Semana da Consciência Negra: a Escola Municipal São Francisco de Assis que receberá, a partir das 8h30, contação de histórias infantis e oficina de capoeira com o professor Henrique Laurentino (Grupo Senzala); a Biblioteca Pública Municipal que será palco, às 14h, de contação de histórias infantis e oficina de bonecas Abayomi; e o Centro da Juventude (CJU) do Coopagro, onde a partir das 15h, haverá oficinas sobre cabelos afro com Maiara Santos (Afro Hair) e de capoeira com Henrique Laurentino, o qual, ao lado de Leonardo Soares (Batalha da Resistência), protagonizará roda de conversa.

Henrique ministrará na sexta-feira (19) mais duas oficinas de capoeira: às 8h30, na Escola Municipal Olivo Beal; às 16h, no CJU do Europa. Antes disso, neste mesmo espaço, às 15h, ele, Leonardo Soares e o grafiteiro Isaac Souza de Jesus estarão à frente de uma roda de conversa. Isaac, por sinal, ministrará no CJU oficina de grafitagem; Maiara Santos (Afro Hair), por sua vez, ensinará sobre cabelos afro.

No sábado, 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, ampla programação será realizada no Parque Ecológico Diva Paim Barth. A partir das 17h, o cartão postal de Toledo, receberá roda de capoeira e oficina de jongo (Grupo Senzala), desfile de roupas, cabelos e maquiagem afro, trancistas, feira de arte e artesanato com a temática afro, varal de cordel (Colégio Integral), oficina de maracatu (Patrícia Riffel) e mostra gastronômica (Embaixada Solidária). Às 19h haverá apresentação do Coral Evangélico Haitiano e às 19h30 Tays Vilaca canta “Vivência Negra e Afro-Brasilidades Autorais”.

Para encerrar a Semana da Consciência Negra, o Centro de Artes e Esportes Unificado de Toledo (CEU das Artes) abrigará atividade que será promovida pelo Batalha da Resistência com apoio da Secretaria da Cultura. A programação está lindíssima porque conta com diversos parceiros, tanto os que estão dentro da própria estrutura administrativa do município, como as secretarias de Juventude, Educação, Esportes e Lazer, Comunicação e Administração, bem como outras instituições da sociedade civil, como a Unioeste, o Quilombo Tekohá e a Embaixada Solidária. Todos eles se uniram com o objetivo de dar maior visibilidade à cultura afro-brasileira”, explica a secretária da Cultura, Rosselane Giordani.

Rosselane vê neste conjunto de eventos a oportunidade para a sociedade local debater e se conscientizar sobre os problemas cotidianos enfrentados pela população negra em Toledo e por todo o Brasil. “A Secretaria da Cultura compreende que é necessário atender os mais diversos segmentos, pensar a política pública nesta área como um todo. Por isso, estamos realizando pela primeira vez a Semana da Consciência Negra com o mesmo carinho com que promovemos as atividades do Mês da Mulher em março e da Semana Farroupilha em setembro. Trata-se de uma data extremamente simbólica para a identidade cultural do nosso país, propícia para refletirmos a questão do preconceito e da intolerância religiosa, bem como para evidenciar a riqueza da cultura afro, que faz parte das nossas raízes”, salienta.

Embora a história oficial seja narrada pelo ponto de vista dos colonizadores de origem europeia, a secretária destaca a contribuição das demais etnias na construção do município. “Precisamos falar, sim, sobre racismo estrutural e intolerância religiosa para que as próximas gerações pensem a respeito disso de forma diferente. Ao contrário da teoria do ‘vazio demográfico’ que justificou o nosso processo de colonização, havia muito antes no território onde hoje está Toledo a presença de indígenas e caboclos envolvidos na cadeia produtiva da erva-mate. Em nome da pluralidade, é preciso reconhecer esta parte importante da nossa constituição étnico-racial e não invisibilizar a contribuição destas pessoas para o nosso desenvolvimento, deixando-as na sombra da História”, analisa a secretária.
01   casa de not%c3%adcias 01 %281%29