Banner 1144x150 px

SAÚDE

20ª Regional de Saúde confirma caso de H3N2 em Toledo

O vírus não é novo, mas começou a circular com mais intensidade nos últimos meses e a vacina da gripe aplicada neste ano não possui muita eficácia no seu combate
20/12/2021 - 19:02
Por Assessoria


A Secretaria de Saúde de Toledo e a 20ª Regional confirmaram, nesta segunda-feira (20), um caso de H3N2, síndrome gripal causada pelo subtipo do vírus Influenza A. A pessoa tem 30 anos e é do sexo feminino. Apresentou sintomas no dia 7 de dezembro, coletou exame no dia 9, retornou ao serviço de saúde do município no dia 11 e foi transferida, por meio da Central Estadual de Regulação de Leitos, para uma unidade hospitalar em Cascavel, na mesma data. O resultado positivo foi emitido pelo Laboratório Central do Estado (LACEN) na última quarta-feira (15).

O vírus não é novo, mas começou a circular com mais intensidade nos últimos meses e a vacina da gripe aplicada neste ano não possui muita eficácia no seu combate. Como é um vírus respiratório, a transmissão acontece de forma parecida com a do coronavírus. “É de pessoa para pessoa, por meio de secreções expelidas pela tosse, espirro, fala, entre outros meios, como superfícies contaminadas”, explica o diretor-geral da Secretaria de Saúde, Fernando Pedrotti.

Pedrotti ainda lembra que a paciente não relatou viagem ou contato com pessoas com sintomas gripais ou que estiveram em outras regiões.

Sintomas - Os sintomas da gripe causada pelo vírus H3N2 em adultos variam de intensidade e costumeiramente aparecem já nos primeiros dias. Tosse, febre, calafrios, dor de garganta, secreção nasal excessiva, dor de cabeça e no corpo, irritação nos olhos e mal-estar estão entre os sinais. Nas crianças, além de febre, é comum haver o aumento dos linfonodos cervicais e sintomas gastrointestinais. Em muitos casos, o quadro tende a se agravar com evolução para pneumonia.

“É parecido com os quadros apresentados pelos pacientes acometidos de Covid-19 e combate também deve ser da mesma forma. Uso de máscara corretamente, assepsia das mãos, evitar ambientes fechados ou com aglomerações”, explica Fernando Pedrotti. 

“Pedimos que as pessoas que perceberem os sintomas procurem o Pronto Atendimento Municipal Doutor Jorge Nunes (PAM/Mini Hospital), nossa referência para pacientes com sintomas gripais, para o tratamento e acompanhamento adequados”, acrescenta.