Banner 1144x150 px

SAÚDE

Síndrome de Burnout é classificada como uma doença de trabalho a partir deste mês

Distúrbio afeta parte física e emocional dos colaboradores
04/01/2022 - 09:23
Por Por Tv Cultura


Com o início do mês de janeiro, a Síndrome de Burnout passou a ser classificada como uma doença de trabalho.

O distúrbio está ligado ao emocional e apresenta sintomas como exaustão extrema, estresse, além de esgotamento físico, febre, dor de cabeça e desmaios.

De acordo com o médico e neurocientista Dr. Jô Furlan normalmente o estresse é fruto da má gestão da relação intra e interpessoal, de modo que, quando a pessoa não consegue administrar, aumenta o grau de estresse negativo. “Isso gera um processo crônico, que se reflete tanto no comprometimento físico quanto mental. E consequentemente ocasiona uma diminuição de produtividade”, alertou.

A doença pode acometer qualquer gênero, mas, como a mulher está mais sujeita a quadros de suscetibilidade emocional por ser multitarefa, leva-a a se esgotar com mais facilidade pela sobrecarga de atividades.

Cuidados

No livro “Você é o caminho", a especialista em desenvolvimento pessoal Dani Costa, que já foi diagnosticada com a síndrome, compartilhou experiências e resultados que vivenciou até conseguir a cura.

Para ela, é importante ter momentos de conexão consigo mesmo e tirar alguns minutos para olhar para si, seja ao realizar uma atividade física, ter uma alimentação saudável ou realizar terapia.

Ela ainda afirma ser imprescindível que práticas de bem-estar sejam adotadas pelo próprio ambiente corporativo a fim de evitar que a doença acometa os colaboradores. “Por mais que exista a autorresponsabilidade, acredito ser importante a cooperação da empresa a fim de evitar o aumento de absenteísmo e alta rotatividade, mantendo assim os níveis de produtividade e satisfação”, recomendou.