01   casa de not%c3%adcias 02 %281%29

TOLEDO

Ação no Rio Marreco visa diminuir pernilongos na região da Vila Industrial

A crise hídrica proporcionou uma baixa significativa do nível do rio e formou poças onde se concentram os insetos
20/01/2022 - 09:13
Por Prefeitura de Toledo


Os moradores que residem próximo ao Rio Marreco na região da Vila Industrial de Toledo poderão dormir mais tranquilos nas próximas noites. Acontece que a crise hídrica proporcionou uma baixa significativa do nível do rio e formou poças onde se concentram os insetos alados, mais conhecidos como pernilongos. Uma ação realizada nesta terça-feira (18) pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento em parceria com o Setor de Endemias deve contribuir para noites menos “picantes”. 

O secretário da pasta, Júnior Henrique Pinto, relatou a grande quantidade de reclamações sobre a infestação de pernilongos na região do Rio Marreco no Bairro Industrial. Ele disse que preliminarmente a equipe do Setor de Endemias fez a coleta e análise para saber se era mosquito da dengue, o Aedes aegypti, ou os pernilongos conhecidos da população.

Constatando que eram pernilongos, o setor de Endemias voltou a entrar em contato com a SMDAS para providenciar a autorização de uso do produto específico para combater esse inseto no corpo hídrico. Isso só é possível após análise e autorização do Instituto Água e Terra (IAT), antigo IAP. 

“Como já temos a autorização prévia até 2023, fomos na sexta-feira [14] e coletamos uma amostra no rio e levamos no setor de Endemias para verificar a eficácia do produto. Constatadas as medidas adequadas e o objetivo esperado, baseado no estudo aprovado pelo IAT, o qual estabelece a área que será aplicada e as quantidades, então fizemos a aplicação do produto onde havia a maior concentração de pernilongos dentro do rio. Agora vamos avaliar os resultados e a necessidade de uma nova aplicação”, explicou Junior.  

O próprio secretário auxiliou na aplicação do produto nesta terça-feira, juntamente com a coordenadora do setor de Endemias, Lilian Konig, e demais servidores. Ele reforçou a necessidade da ação em função das constantes reclamações. Também mencionou que as chuvas desta semana, mesmo sendo isoladas, podem contribuir para a solução do problema, já que contribuem para não permanecer água parada nas poças do rio. 
Unioeste 1144x250px