Banner casa de noti%cc%81cias

PANDEMIA

Toledo registra 2164 casos ativos e, após 56 dias, registra mais um óbito por Covid-19

A variante ômicron tem maior capacidade de propagação, no quantitativo ela pode pressionar o sistema de saúde, que conta com menor disponibilidade de leitos

21/01/2022 - 18:48
Por Redação


Em dezembro, com a vacinação a Pandemia dava trégua no número de novos casos e necessidade de leitos, o que levou a não renovação de contratos de leitos exclusivos Covid. A variante Ômicron veio e mudou o cenário, espalhando rapidamente o vírus promovendo recordes de novos casos. Em Toledo, ontem (21), foram registrados 296 novos casos, totalizando 2164 casos ativos e 1344 exames em análise. 

As internações crescem, mas não na mesma escala dos casos e, isto é resultado da vacinação, e ainda assim, o município tem 22 moradores internados em Hospitais da região.

Leitos


No Mapa de ocupação dos leitos SUS preferenciais ao enfrentamento da Covid-19, divulgado na manhã desta sexta-feira (21), pela 20ª Regional de Saúde, o Hospital Beneficente Moacir Micheletto de Assis Chateaubriand, referência Covid para a 20ª RS Toledo, conta com 10 leitos e todos estão ocupados

Segundo a 20ª Regional de Saúde, em dezembro o fechamento dos leitos na Regional se justificava, pois estavam disponíveis 27 leitos de UTI, para a demanda de um paciente. Como venceram os contratos dos leitos Covid, estes leitos de Assis são hoje preferencialmente Covid e não mais exclusivos.

Os pacientes que precisarem de leitos UTI poderão ser transferidos para leitos da macrorregião e, na medida em que o Estado perceber a necessidade abrirá novos leitos, mas que nada impede que a pessoa possa ser internada num leito que não seja exclusivo Covid.

Além da 20ª Regional de Saúde – Toledo, integram a macrorregião oeste, a 7ª RS Pato Branco com 10 leitos preferenciais Covid, lá 40% já está ocupado, 8ª RS de Francisco Beltrão com 22 leitos Covid, destes 68% estão ocupados, 9ª RS de Foz do Iguaçu com 10 leitos, 80% ocupados e a 10ª RS de Saúde com dois hospitais de referência Covid, o HUOP - Hospital Universitário de Cascavel com 20 leitos e 75% estão ocupados e o Hospital de Retaguarda de Cascavel que conta com 10 leitos e estes estão todos ocupados.

Embora a ocupação de leitos de UTI Covid sempre foram regulados pela macrorregional, a disponibilidade de leitos mais próximo as residências, além de trazer mais conforto às famílias evitam a transferência de pacientes já fragilizados.

Óbito Covid


A Secretaria de Saúde de Toledo confirmou, nesta sexta-feira (21), mais um óbito por Covid-19. Trata-se de um homem de 86 anos, com início dos sintomas em 5 de janeiro e internamento no dia 11 do mesmo mês. O paciente encontrava-se sob cuidados médico-hospitalares em unidade de terapia intensiva (UTI) localizada em outro município. 

"Estávamos com um longo período sem o registro de óbitos por coronavírus. Infelizmente, o boletim epidemiológico nos apresenta este caso e lamentamos profundamente”, diz o diretor-geral da Secretaria de Saúde, Fernando Pedrotti. “Diante disso, pedimos que as pessoas continuem os cuidados e reforçamos a importância do esquema vacinal completo”, completa.

Vacina pediátrica novos locais e horários 


A partir da próxima segunda-feira (24), com o início do funcionamento das unidades exclusivas para atendimentos de pacientes sintomáticos para COVID-19 e outras síndromes gripais no Cosmos e Panorama, a imunização para crianças de 5 a 11 anos contra o coronavírus será reorganizada. 

A vacinação pediátrica da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Panorama será transferida para a UBS do Alto Panorama, das 13h30 às 17h30. Da mesma forma, com a UBS do Jardim Coopagro tornando-se a referência para os usuários da região do Cosmos, também transformada em unidade sentinela, a dispensação do imunizante para crianças contra a Covid-19 será realizada na UBS do Jardim Pancera, das 8h às 11h. 

“Foi preciso reajustar os atendimentos dos pacientes em virtude de transformarmos duas UBS’s em referência para as pessoas com sintomas de coronavírus e demais síndromes gripais”, explica a diretora de Atenção Primária da Secretaria de Saúde, Sirlene Dela Torre. 

Imagem ilustrativa Freepik
 

Unioeste 1144x250px