1444x150

SAÚDE

Reforma da piscina da Clínica de Reabilitação Física da Unioeste vai intensificar atendimento na região

A readequação é uma necessidade antiga devido às novas normas de acessibilidade. O projeto de ampliação conta com uma área total de 366,19 metros quadrados e contempla ainda banheiros com maior infraestrutura.
01/04/2022 - 07:46
Por AEN


A Clínica de Reabilitação Física da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) recebeu cerca de R$ 1,6 milhão para reforma da piscina utilizada para atendimento e reabilitação física de pacientes. O repasse é da Secretaria Estadual de Saúde.

A readequação é uma necessidade antiga devido às novas normas de acessibilidade. O projeto de ampliação conta com uma área total de 366,19 metros quadrados e contempla ainda banheiros com maior infraestrutura. O novo espaço deve beneficiar o atendimento de pacientes com dificuldades motoras.

“A nova piscina será adequada às necessidades da atualidade. Quando o curso foi criado, muitas normas ainda não existiam. Nesse espaço atendemos vários pacientes e há necessidade de uma rampa de acesso por exemplo, além de uma série de questões que vão melhorar e muito o atendimento”, explica o reitor da Unioeste, Alexandre Webber.

“Na época em que ela foi construída, não tinha sido planejada para pacientes com grandes transtornos físicos ou com problemas neurológicos. Há dificuldade na entrada na piscina e no deslocamento ao redor dela. Nos banheiros, que serão reformados, os pais possuem muita dificuldade em trocar as crianças depois de entrarem na piscina. Os idosos têm muita dificuldade em sair da piscina pois ela não é adaptada. Há ainda outras adequações necessárias para que consigamos realizar as terapias”, diz o coordenador da Clínica de Reabilitação Física, Rodrigo Genske.

A reforma também deverá ampliará o atendimento de pacientes que são encaminhados através das Unidades Básicas de Saúde. “Não são só pacientes de Cascavel, mas de toda Macrorregião Oeste. Hoje, com a piscina que temos, o número é limitado, atendemos cerca de 200 pacientes por mês. Com a reforma a gente poderá atender cerca de 500 pacientes por semana”, enfatiza Rodrigo. “A gente tem como objetivo melhorar a qualidade do atendimento, pois atendemos crianças e idosos das mais variadas idades, com sequelas neurológicas importantes, como AVC, traumatismo craniano, problemas ortopédicos e outras situações”.