Whatsapp image 2021 02 08 at 19.08.55

PANDEMIA

Toledo tem 1741 casos ativos e mais três mortes por Covid-19, neste sábado

A Semana Epidemiológica registrou 1062 novos casos, um crescimento superior a 45% em relação à semana anterior

27/02/2021 - 21:44
Por Redação


Este é o pior momento da Pandemia vivido até o momento. Leitos de UTI esgotados, fila de espera superior à média histórica, sem disponibilidade de respiradores e casos não param de crescer. Nesta semana, foram registrados 1062 novos casos de Covid e oito mortes, contra 732 casos e cinco mortes na semana anterior. O Decreto Estadual é questionado, por diversos setores econômicos. Na tarde deste sábado, o prefeito Beto Lunitti realizou mais uma live e anunciou novo decreto.

Neste sábado (27), Toledo confirmou 99 novos casos da COVID-19 e 469 exames seguem em análise. Desde o início da Pandemia, o município perdeu 141 vidas, para a doença.  Entre os anunciados hoje têm duas mulheres, 57 anos e 71 anos e, um homem de 70 anos.

Estão internados em hospitais referência em Covid 56 moradores, 37 em leitos de enfermaria e 19 em leitos de UTI.

Fiscalização

Segundo a Vigilância Sanitária foram emitidas 24 notificações, neste sábado, dentre comércios, conveniências de postos, serviços de estéticas e lojas diversas.

Flexibilização do Decreto

O prefeito Beto Lunitti declarou em live, nesta tarde, que o Mini Hospital está realizando 400 atendimentos dias, que não tem mais leitos, não tem mais respiradores, mas que o setor econômico não pode ser penalizado. 
“Mantive contato com o Estado e reiterei que é necessário proteger a economia. Nós defendemos a vida, mas queremos que a economia funcione”, defendeu o Prefeito.

O primeiro Decreto flexibiliza a cobrança de EstaR

“Fica suspensa a cobrança de tarifas no estacionamento regulamentado para veículos (“EstaR”), na cidade de Toledo, enquanto estiver vigente o Decreto Estadual nº 6.983, de 26 de fevereiro de 2021”.

E o segundo que possibilita o funcionamento interno do comércio.

“§ 2º – A suspensão do funcionamento dos serviços e atividades não essenciais, assim declaradas pelo Decreto Estadual nº 6.983/2021, não se aplica às atividades internas dos estabelecimentos nele especificados, nem à realização de transações comerciais por meio de aplicativos, internet, telefone ou outros instrumentos similares e aos serviços de entrega de mercadorias (delivery), devendo ser mantido o número mínimo possível de funcionários, de acordo com a sua atividade preponderante, em percentual que não exceda 25% (vinte e cinco por cento) da respectiva equipe de trabalho”.

Segundo o Prefeito a medida visa apoiar empresários para que eles possam gerar emprego e renda. “Toledo conta com o decreto que permite a empresa ter um número mínimo de profissional para atender por delivery ou aplicativo. Não será permitido o fluxo de cliente dentro do estabelecimento”.

Apoio fiscal

Segundo o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Diego Bonaldo o município estuda medidas de incentivo ao setor. “O Estado deve diminuir a cobrança de alguns impostos. O maior imposto cobrado do pequeno empresário é o ICMS. Não podemos esquecer que esse ‘cara’ é responsável pelos empregos e são mais de 60% das empresas no município. Nós precisamos de uma contrapartida para o pequeno empresário”, defendeu o secretário.

Segundo Beto Lunitti está sendo articulado uma reunião com as academias. “Tem um projeto no Legislativo para tornar o serviço essencial. As escolas e as Igrejas também serão incluídas como essenciais”.

Desalinhamento de Decretos

Há entendimentos diferenciados sobre a possibilidade de decretos municipais serem menos restritivos que os decretos do Estado, como pode ser visto aqui.

Outra situação que fortalece a tese é que, no ano passado, O Município de Toledo moveu uma ação declaratória em face do Estado do Paraná, visando a suspensão da eficácia do Decreto Estadual nº 4942/2020 em relação ao âmbito municipal, a liminar foi indeferida.

NOTA DA SECRETARIA DE SAÚDE (DIA 26)

A Secretaria de Saúde de Toledo informa a população que a emergência do Pronto Atendimento Municipal Doutor Jorge Nunes (PAM/Mini Hospital) atingiu na tarde desta sexta-feira (26) sua capacidade máxima de atendimento. 
 
Foram cinco pacientes entubados aguardando leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), com um transferido no início da noite para o Hospital Bom Jesus. Neste momento não existem vagas em UTI’s disponíveis pela Central de Regulação de Leitos do Paraná. 
 
A Secretaria de Saúde pede que a população cumpra as determinações e só procure as unidades básicas de saúde (UBS’s) e demais serviços de saúde em casos de extrema necessidade, evitando assim aglomerações e riscos desnecessários à saúde.

Casa de not%c3%adcias %281%29