Whatsapp image 2021 02 08 at 19.08.55

EDUCAÇÃO

UEM cria Memorial Vítimas da Covid-19

A primeira perda ligada à UEM foi a morte da psicóloga aposentada Maria Lúcia Dantas (70 anos), no dia 29 de julho de 2020
22/03/2021 - 20:26
Por Assessoria de Imprensa


A Universidade Estadual de Maringá (UEM) acaba de lançar o Memorial Vítimas da Covid-19 em tributo aos servidores, ex-servidores e alunos vitimados pela infecção.

Em Maringá, o primeiro caso da doença foi confirmado no dia 18 de março de 2020. Uma mulher de 46 anos, recém-chegada da Espanha apresentou os sintomas da doença. Um ano depois (até a data de sexta-feira, 19/03), de acordo com a Secretaria de Saúde de Maringá, a cidade registrou 36.176 casos positivos da Covid-19 e 635 óbitos pela doença.

Destas vítimas, 10 atuaram na Universidade Estadual de Maringá (UEM) contribuindo com a divulgação de conhecimento. Eram professores, vigilantes patrimoniais, uma técnica em laboratórios, um técnico de Assuntos Educacionais e uma Auxiliar Operacional, atuantes e aposentados; além de um aluno do 4º ano do curso de Ciências Contábeis.

A primeira perda ligada à UEM foi a morte da psicóloga aposentada Maria Lúcia Dantas (70 anos), ocorrido no dia 29 de julho de 2020. Ela atuou como Coordenadora do Ambulatório Médico e de Enfermagem do Hospital Universitário Regional de Maringá. Antes, havia assumido a Diretoria de Assuntos Comunitários, foi chefe do Núcleo de Psicologia Aplicada do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes e Psicóloga da Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários. 

“Nenhuma morte deve ser contada apenas como estatística. Tendo consciência disso, a UEM construiu um memorial virtual, que dignifica as vítimas da doença. É uma homenagem aos servidores, ex-servidores e alunos vitimados pela infecção. Estes estarão simbolizando todas as perdas que tivemos neste longo período de pandemia. A Universidade demonstra a sua solidariedade e respeito às famílias”, exterioriza Julio Damasceno, reitor da UEM.

Ações da UEM para auxiliar no controle da pandemia

A UEM adiantou-se à pandemia com a criação do Comitê Covid-19, formado por médicos, enfermeiros, farmacêuticos e administrativo, incluindo pró-reitores e diretores. Este comitê trabalhou e tem trabalhado pautando decisões por critérios técnicos respaldados por profissionais com profundo conhecimento sobre a epidemiologia.

A universidade também criou o Grupo de Estudo de Evidências Científicas em Covid-19, que começou a desenvolver métodos de trabalho para manter um fluxo de informações confiáveis para o corpo técnico do comitê de acompanhamento e de controle do coronavírus. É neste cenário, que os pesquisadores da UEM e do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM) vêm se destacando cada vez mais na pesquisa, inovação e ciência, a contribuir significativamente na qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação.

Concomitante, com o intuito de informar e esclarecer a população, a instituição desenvolveu uma home page contendo notícias e informações atualizadas diariamente, sobre o vírus que, até então era totalmente desconhecido.

Também, graças ao empenho da UEM e HUM, o novo bloco com 108 leitos foi disponibilizado, em tempo hábil, para o tratamento exclusivo de pacientes com Covid-19 e os pesquisadores do HUM, profissionais e alunos de graduação e pós-graduação dos cursos de Medicina e Física se uniram para desenvolver um modelo de respirador e um de oxigenador para atender às possíveis demandas do hospital. Essas e outras ações consolidaram o HUM como referência em tratamento do coronavírus na região de Maringá.

Casa de not%c3%adcias %281%29